April 23, 2020

SpaceX coloca nova leva de satélites em órbita para projeto de conexão global de banda larga

SpaceX coloca nova leva de satélites em órbita para projeto de conexão global de banda larga

A empresa fabricante de foguetes e tecnologia aeroespacial SpaceX concluiu ontem (22 de abril) mais uma missão bem sucedida para colocar em órbita 60 novas unidades de sua constelação de satélites, parte do projeto Starlink, que tem como objetivo fornecer um serviço de internet banda larga global, inclusive em regiões remotas, que hoje contam com baixa ou nenhuma conexão. Esta foi a quarta decolagem do projeto Starlink apenas em 2020, e a sétima no total.

Com esse lançamento, a SpaceX se torna a maior operadora privada de satélites do mundo, com uma frota de 418 objetos.

A missão partiu de Cabo Canaveral, na Flórida, com um foguete Falcon 9, que depois realizou um pouso também bem sucedido em uma base flutuante no Atlântico. Lembrando que o reaproveitamento dos foguetes – capazes de retornar ao solo em operações hiper delicadas – é parte essencial do sucesso logístico e operacional da SpaceX, uma das empresas do bilionário empreendedor Elon Musk.  

Os satélites da SpaceX operam em uma órbita baixa da Terra, o que proporciona uma latência menor para a conexão de internet. Segundo Musk, uma fase de beta teste fechado deve começar ainda este ano, em cerca de três meses, nos Estados Unidos e no Canadá, e depois de mais três meses, um beta aberto. Ele espera que no ano que vem a frota esteja pronta para oferecer uma cobertura global, e para isso, a empresa está com o cronograma apertado, mantendo lançamentos mesmo em meio à pandemia global do COVID-19.

O projeto Starlink causou alguma polêmica porque a frota de satélites vem causando interferência na observação astronômica no céu noturno. Os objetos alinhados da SpaceX refletem luz. Para minimizar o problema, a empresa vai passar a operar em uma órbita ainda mais baixa, para reduzir o efeito de reflexo luminoso.

Assista ao replay do lançamento de ontem da SpaceX no YouTube: