April 22, 2020

Primeiro produto à base de maconha no Brasil trará bem-vinda variedade de tratamentos às farmácias

Primeiro produto à base de maconha no Brasil trará bem-vinda variedade de tratamentos às farmácias

A aprovação pela Anvisa do registro do primeiro produto à base de Cannabis no Brasil abre uma nova era para a indústria farmacêutica do país, trazendo novas possibilidades tanto para o mercado quanto para pacientes que sofrem de sintomas que podem ser minimizados pelo produto.

O óleo, produzido pela brasileira Prati-Donaduzzi, é rico em canabidiol, ou CBD, um dos compostos da maconha, usado em tratamentos contra epilepsia, doença de Parkinson, além de dores, ansiedade e insônia crônicas. Ele poderá ser agora comercializado em farmácias brasileiras – desde que vendido mediante a apresentação de receita médica de controle especial tipo B, indicada, segundo reportagem da Folha, para substâncias psicotrópicas.

No produto da Prati-Donaduzzi – uma empresa que começou em Recife (PE) produzindo chás e soluções simples como o Hipoclorito de Sódio, utilizado para esterilizar água durante o surto de Cólera no nordeste brasileiro –, a concentração de THC é de apenas 0,2%. Uma quantidade maior que essa de THC, principal substância psicoativa da maconha, colocaria o óleo em uma categoria disponível apenas para pacientes terminais, com receita tipo A, a mesma da morfina.

Ainda não há previsão de lançamento do óleo no mercado, nem o preço do mesmo.

A Anvisa liberou no ano passado a possibilidade de venda de produtos baseados em subprodutos da Cannabis no Brasil, mas não o cultivo da planta para a produção de medicamentos nem pesquisa, o que ainda limita – e encarece – o processo de fabricação, já que as empresas se vêem obrigadas a importar os insumos de países estrangeiros.