Apple evolui no design de sua linha com novos iPhones e relógio remodelado


A Apple deu continuidade ao trabalho iniciado por Steve Jobs em seu retorno à empresa na virada dos anos 2000, em que ele colocou o design como peça central da operação, uma força de crescimento que a tornou uma companhia avaliada em mais de 1 trilhão de dólares.

Em um evento público realizado nesta quarta-feira (12 de setembro) nos Estados Unidos, foram anunciados novos iPhones e um relógio remodelado – e apesar das melhorias de desempenho e hardware dos equipamentos, a grande estrela foi, mais uma vez, o design.

O relógio ganhou contornos mais curvos, suaves, e uma integração maior entre a tela e o corpo metálico. Além disso, a interface foi ajustada, também, para se adequar às mudanças.

Outro destaque: agora, a “coroa” que controla algumas funcionalidades do aparelho ganhou um sensor elétrico que permitirá ao Apple Watch realizar eletrocardiogramas nos usuários, monitorando sua atividade cardíaca.

Um exemplo de como a engenharia de eletrônicos pessoais pode fazer uma grande diferença no nosso cotidiano quando elevada a um alto nível de desenvolvimento.

Os novos iPhones também representam um grande salto para a empresa: telas maiores, câmeras melhores… A Apple está elevando a arte de fabricar smartphones a um patamar realmente elevado, e hoje parece difícil enxergar rivais à sua altura, pelo menos no campo dos celulares, em que ela desenvolveu sua expertise por tantos anos, de forma pioneira.

Claro que isso não sai barato. Outra tendência clara é a da elevação de preços dos aparelhos da empresa. Infelizmente, a inovação da Apple não é – e aparentemente não será por um bom tempo – acessível para todos.

Fonte: The Verge