O futuro é brilhante: Japão cria sorvete que não derrete


Foto: Aikawa Ke

A cena vive na memória de muitos de nós, associada a uma suave melancolia: Céu azul, tempo bom... Praia. O sol brilha, refletindo na superfície do oceano. Mas algo está errado. O delicioso picolé recém-comprado está se desfazendo descontroladamente, derretendo em alta velocidade, perdendo-se na areia enquanto meleca nossas mãos e suja tudo em seu caminho...

Mas essas memórias podem se tornar definitivamente algo do passado, graças à inovação de um centro de pesquisa localizado na cidade japonesa de Kanazawa. Os cientistas criaram um método orgânico, natural, que faz com que sorvetes se mantenham em sua forma original, sem derreter, por horas.

A técnica foi descoberta por acidente, no começo deste ano, durante uma investigação conduzida pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Bioterapia de Kanazawa. Os pesquisadores buscavam criar, junto a um chef de cozinha, uma sobremesa que utilizasse polifenol líquido extraído de morangos, numa tentativa de aproveitar as frutas de fazendeiros cujas colheitas foram afetadas pelo terremoto e tsunami de 2011.

Mas o chef se deparou com uma barreira: o creme de leite se solidificava instantaneamente após a adição do polifenol de morango. Sem se deixar abater, um dos cientistas envolvidos na pesquisa encontrou aí a ideia para uma outra aplicação promissora para o polifenol: a criação de picolés que não derretem.

O polifenol líquido possui propriedades que tornam difícil a separação do óleo e da água, de forma que um picolé que o contenha será capaz de manter a sua forma original por mais tempo que o normal, e derreterá mais dificilmente", disse Tomihisa Ota, professor de farmácia da Universidade de Kanazawa, ao jornal Asahi Shimbun.

Os picolés que não derretem foram vendidos pela primeira vez nas cidades de Kanazawa, Osaka e Tóquio, em abril. E de acordo com as primeiras avaliações de jornalistas, eles realmente cumprem o prometido.

"Quando o calor de um secador foi aplicado dentro de uma sala com ar-condicionado, um picolé de baunilha comprado de uma loja normal começou a derreter nas bordas quase instantaneamente", afirmou o repórter. "Mas o sorvete de Kanazawa manteve sua forma original mesmo após cinco minutos [de aplicação de calor]. Ele também estava com um gosto bom."

E aí, quem será o empreendedor visionário que trará essa beleza ao Brasil?

Fonte: Traveler