Comunidade #startups no Slack reúne fundadores e busca brasileiros


Startup

Uma etapa vital na construção de qualquer empreendimento é formar conexões – e a comunidade #startups no Slack quer catalisar esse processo. Ela funciona como um clube fechado para integrantes da comunidade mundial de empreendedores, com diversos canais para discussão, troca de experiências, dicas de ferramentas, estratégias para captação de recursos, entre muitos outros tópicos.

O grupo já tem mais de 1700 membros, a maioria convidada, com algumas figuras ilustres como o investidor Brad Feld e membros do tradicional fundo Andreessen Horowitz. Para se inscrever, é necessário preencher um formulário com suas credenciais, como projetos em que você já se envolveu, e pagar uma taxa única de 20 euros.

"Tentamos manter o número de novos membros baixo e aceitar apenas pessoas relevantes – não queremos tornar a #startups exclusiva, mas aceitar apenas quem adicione o maior valor à comunidade", diz Eleftheria Karyoti, da Startup Foundation, organização baseada na Holanda.

#Startups

O grupo se aproveita das ferramentas do Slack, como a criação de canais separados de discussão, compartilhamento de arquivos, etc. Há uma área dedicada ao networking e outra a dicas de design e experiência do usuário. Segundo Eleftheria, a comunidade busca agora fundadores brasileiros, para aumentar a diversidade da discussão.

"Queremos criar uma comunidade global de fundadores que possam se ajudar a criar grandes empresas", diz Eleftheria. "Acreditamos que essa variedade adicione valor à comunidade global. O Brasil tem um dos maiores ecossistemas de startups, e gostaríamos de incluir mais empreendedores brasileiros que pensem internacionalmente."

Saiba mais sobre a comunidade #startups na página do projeto.

Se quiser ler mais sobre o Slack, acesse nosso artigo sobre o serviço.