Arqueólogos encontram intacta cama que acredita-se ter recebido o corpo de Jesus


Santo Sepulcro

Arqueólogos responsáveis pelo trabalho de investigação do suposto túmulo de Jesus Cristo, na Igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém, fizeram uma descoberta ao remover as camadas mais superficiais de mármore da sepultura: uma cama de calcário, a Rocha Sagrada onde supostamente o corpo de Jesus foi depositado após a morte na cruz.

Depois de remover a primeira tampa de mármore, os arqueólogos encontraram um nível de detritos. Mas, ao continuar a escavação, encontraram uma segunda superfície de mármore com uma cruz gravada que data provavelmente da época das cruzadas. Finalmente, ao remover essa tampa, a surpresa: eles encontraram intacta parte da cama de calcário, coberta há pelo menos 500 anos, e provavelmente há mais tempo ainda.

A plataforma indica que o local do suposto túmulo de Jesus permaneceu inalterado por séculos, aumentando o peso das evidências que indicam que esse pode mesmo ter sido o local da sepultura do Cristo.

National

Restaurador limpa rocha que acredita-se ter recebido o corpo de Jesus após a morte na cruz. Foto: National Geographic

"Esta é a Rocha Sagrada reverenciada há séculos, e agora ela pode ser vista", disse a professora Antonia Moropoulou, diretora do projeto, a National Geographic. "Estou absolutamente maravilhado. Meus joelhos estão tremendo um pouco porque não esperava isso", disse Fredrik Hiebert, um dos arqueólogos envolvidos na escavação.

"Nós podemos não ter certeza absoluta de que a Igreja do Santo Sepulcro seja o local da sepultura de Jesus, mas certamente não há outro lugar com tanto peso de evidências, e não temos nenhuma razão para rejeitar sua autenticidade", diz o arquéologo Dan Bahat.

A equipe liderada por Antonia Moropoulou teve 60 horas para trabalhar no local, antes de ele voltar a ser fechado. O projeto faz parte de um esforço de conservação e restauração da Igreja do Santo Sepulcro.

Fonte: National Geographic