Apoiadores temem que Julian Assange tenha sido capturado na embaixada do Equador


Assange Apoiadores do ativista Julian Assange, editor do site de divulgação de documentos WikiLeaks, estão em alerta depois de uma série de eventos que apontam para a possibilidade de ele ter sido capturado na embaixada do Equador em Londres e extraditado para os Estados Unidos em um avião militar conhecido como o "Expresso Guantânamo".

Assange vive preso na embaixada equatoriana desde 2012, quando a suprema corte do Reino Unido autorizou sua extradição.

O mais recente episódio de ataques contra a liberdade do ativista começou depois que o WikiLeaks divulgou uma série de e-mails de John Podesta, chefe de campanha da candidata à presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton. Os documentos oferecem uma visão dos bastidores do poder, e revelam, por exemplo, que Hillary sabia da conexão entre os governos do Qatar e da Arábia Saudita com o Estado Islâmico.

Sob pressão dos Estados Unidos, a embaixada do Equador cortou a conexão de Assange à internet, sob o pretexto de que a divulgação dos e-mails poderia interferir no processo eleitoral americano. Começaram então os eventos que levam os apoiadores do ativista a acreditar que ele possa ter sido capturado.

O perfil do WikiLeaks no Twitter publicou uma série de mensagens com chaves criptográficas apontadas por especialistas como um possível alerta programado para ser ativado no caso de o editor ser morto ou capturado.

Um grupo de manifestantes se posicionou em frente à embaixada do Equador na tentativa de fazer pressão pela segurança de Assange, e houve um pedido coletivo para que fosse dada alguma prova de sua vida, o que não aconteceu. Ativistas no local afirmam ter visto uma equipe não identificada entrar na embaixada no momento em que uma transmissão ao vivo feita por meio do aplicativo Periscope foi interrompida sem explicação.

Por fim, os rumores atingiram seu ápice quando um usuário do Reddit utilizou uma aplicação online que faz rastreamento de voos e identificou a decolagem de um avião de uma base militar fora de Londres pouco depois dos eventos na embaixada. Pelo modelo da aeronave, os ativistas temem que ela seja a N379P, conhecida também como "Expresso Guantânamo" por levar prisioneiros à prisão americana de segurança máxima em Cuba.

Assange

O avião seguiu para a base aérea de Smithfield, na Carolina do Norte, conhecida por servir também de aeroporto para agências do serviço secreto.

Ainda que não haja qualquer prova de que Assange estava nesse voo, seus apoiadores continuam em alerta máxima, à espera de algum sinal de vida do editor do WikiLeaks.

Fonte: Whashington Post, Anonymous